Encontro de Programações Literárias no Itaú Cultural
em 11/11/2014

Entre os dias 18 e 23 de novembro, quatro eventos unem forças para explorar, debater e celebrar a literatura em diferentes espaços de São Paulo.


Além do Encontros de Interrogação e do Conexões Itaú Cultural – Mapeamento da Literatura Brasileira no Exterior, ambos realizados pelo instituto, o público da capital paulista conta com as ações do Simpoesia – Simpósio de Poesia Contemporânea, na Casa das Rosas [http://casadasrosas.org.br], e da Balada Literária [http://baladaliteraria.com.br/programação], em diversos locais da cidade.


Veja aqui a programação completa:


CONEXÕES: Literatura Brasileira no Exterior: Mercado, Ensino e Mídia


 Na última década, uma série de eventos parece anunciar uma crescente internacionalização da literatura brasileira. Quais serão as consequências desse momento? É possível pensar estratégias para torná-lo duradouro e produtivo?


Ora, de um lado, feiras importantes – Frankfurt, Guadalajara, Bogotá e Bolonha – dedicaram um espaço privilegiado à literatura brasileira. No ano que vem, o Salon du Livre, de Paris, homenageará o Brasil.


De outro lado, uma iniciativa em particular da Fundação Biblioteca Nacional, isto é, o incremento considerável do apoio à tradução de obras brasileiras, favoreceu uma presença inédita de autores jovens na cena internacional.


Ao mesmo tempo, em 2014, o projeto “Conexões – Itaú Cultural” completa seis anos. Portanto, o momento atual demanda um gesto duplo: balanço da última década e análise das perspectivas da literatura brasileira contemporânea.


 20/11 (quinta-feira)

10:00 às 11:00

Mesa 1 | A Tarefa do Tradutor

A tradução é o elo indispensável para o projeto de internacionalização da literatura brasileira. No entanto, a escassa disponibilidade de tradutores qualificados não será um sério obstáculo? Reuniremos o tradutor e professor catedrático de literatura brasileira na Universidad de Buenos Aires com dois jovens tradutores, a fim de discutir a “tarefa do tradutor”.

– François Weigel

 – Michael Kegler

– Julia Tomasini

Mediação: Felipe Lindoso


20/11 (quinta-feira)

11:30 às 12:30

Mesa 2 | A Tarefa do Editor

O editor ata pontas fundamentais do processo literário, dando visibilidade ao vínculo entre autor-tradutor. O passo seguinte supõe o estabelecimento de contato com o novo público leitor. Quais as estratégias dos editores? Como ampliar o público da literatura brasileira em seus respectivos mercados?

– Giorgio de Marchis

– John O’Brien

– Paula Salnot

Mediação: Felipe Lindoso


 21/11 (sexta-feira)

10:00 às 11:00

Mesa 3 | Literatura Brasileira no Exterior

Reconstruir a presença da literatura brasileira no exterior, através do diálogo entre esferas diversas: o pesquisador-tradutor, o jornalista e o agente literário, elos indispensáveis na determinação do êxito ou do insucesso do autor brasileiro no exterior.

– Carmen Villariño Pardo

– Hilary Kaplan

– Isabel Coutinho

– Jordi Roca

Mediação: Claudiney Ferreira


21/11 (sexta-feira)

11:30 às 12:30

Mesa 4 | Recepção da Literatura Brasileira

Como o escritor brasileiro costuma ser recebido no exterior? Espera-se de sua obra a reprodução de clichês sobre o “Brasil brasileiro”? Como dialogar com as expectativas alheias e, ainda assim, preservar a identidade própria? Nessa mesa, reuniremos representantes de várias gerações de autores brasileiros, a fim de promover um encontro inédito.

– Beatriz Bracher

– Cristovão Tezza

– Luiz Ruffato

Mediação: João Cezar de Castro Rocha


21/11 (sexta-feira)

19:00 às 20:00

Mesa 5 | A Primeira Aula

Como entender os impasses e as promessas implícitas no primeiro encontro de um público estrangeiro com a literatura brasileira? Desta vez, o dilema do “mercado” é compreendido a partir do ponto de vista específico da sala de aula. Como seduzir um público pouco ou nada familiarizado com a cultura brasileira?

– Charles Perrone

– Marília Librandi Rocha

– Pedro Meira Monteiro

– Roberto Vecchi

Mediação: Claudiney Ferreira


22/11 (sábado)

11:00 às 12:00

Mesa 6 | Impasses e Promessas

 Uma recente polêmica discutiu os impasses e as promessas associadas com a expansão atual da literatura brasileira no exterior. Concluiremos o encontro deste ano do “Conexões – Itaú Cultural” retomando o debate, a fim de avaliar a circunstância contemporânea.

– Flávia Lins e Silva

– João Paulo Cuenca

– Jobst Welge

Mediação: Rita Palmeira

  

 

ENCONTROS DE INTERROGAÇÃO

Dedicado à troca de ideias sobre a literatura brasileira contemporânea, o programa Encontros de Interrogação completa 10 anos de atividade – e ganha um novo formato. Em vez de reunir escritores em debates sobre temas preestabelecidos, como ocorreu nos anos anteriores, o evento abre espaço para que os autores, com base na produção literária nacional da última década, escolham suas próprias pautas e as exponham em falas individuais de 15 minutos – sem contar os 10 minutos reservados para as perguntas do público.


terça 18 e quarta 19

 10h às 12h45 OFICINA “O QUE SÃO POESIA?”

Escritora e crítica literária dos jornais Folha de S.Paulo e Valor Econômico, Noemi Jaffe explora as várias “caras” da produção poética – daquela que segue o rigor clássico às chamadas poesia em prosa, poesia-minuto, poema piada e poesia visual ou digital. Dividida em dois encontros teóricos e práticos, a atividade ocorre na Casa das Rosas [avenida Paulista, 37].

25 vagas [16]

[as inscrições devem ser feitas pessoalmente, a partir das 10h do dia 1º, na Casa das Rosas]


terça 18


 14h às 17h30 OFICINA “LITERATURA EM LINHA ÚNICA?”

Se o romance é formado por rios-histórias e o conto é um riacho, o miniconto é uma nascente, um veio d’água. O escritor João Anzanello Carrascoza – selecionado, com o projeto de livro “Linha Única”, na última edição do programa Rumos Itaú Cultural – aborda a beleza e a complexidade desse filete de água ficcional – e incentiva a sua produção.

sala vermelha 25 vagas [16]

[inscrições, a partir do dia 4, pelo telefone 11 2168 1876 – de terça a sexta, das 9h às 20h]


20h30 às 22h HOMENAGEM A JOMARD MUNIZ DE BRITTO

Claudiney Ferreira, gerente do núcleo de Literatura e Audiovisual do Itaú Cultural, Frederico Barbosa, diretor da Casa das Rosas, e Marcelino Freire, criador da Balada Literária, falam sobre o escritor, professor, cineasta e agitador cultural pernambucano. O encontro ocorre na Casa das Rosas [avenida Paulista, 37].

100 lugares [L]

[entrada por ordem de chegada na Casa das Rosas]


quarta 19


 16h às 18h30 LITERATURA: QUAL É A SUA QUESTÃO?

Opiniões e provocações de Joca Reiners Terron, Bruna Beber, Lourenço Mutarelli, Michel Laub e Milton Hatoum.

sala itaú cultural 217 lugares [12]

[distribuição de ingressos 30 minutos antes do início da sessão]

[transmissão ao vivo em http://itaucultural.org.br]


quinta 20


 16h às 18h30 LITERATURA: QUAL É A SUA QUESTÃO?

Opiniões e provocações de Andréa del Fuego, Ronaldo Correia de Brito, Alice Ruiz, Marçal Aquino e Antonio Cicero.

sala itaú cultural 217 lugares [12]

[distribuição de ingressos 30 minutos antes do início da sessão]

[transmissão ao vivo em http://itaucultural.org.br]


19h às 20h CURADORIA EM LITERATURA HOJE: ENCONTROS OU INTERROGAÇÕES?

Conversa com Flávio Carneiro e os curadores do evento, Heloisa Buarque de Hollanda e Lourival Holanda.

sala itaú cultural 217 lugares [12]

[distribuição de ingressos 30 minutos antes do início da sessão]


20h30 às 21h30 CRÍTICO E ESCRITOR: QUAIS AS INTERROGAÇÕES DE SILVIANO SANTIAGO?

Com mediação de Eduardo Sterzi, o escritor, crítico e ensaísta Silviano Santiago conversa com o público.

sala itaú cultural 217 lugares [12]

[distribuição de ingressos 30 minutos antes do início da sessão]


sexta 21


 16h às 18h30 LITERATURA: QUAL É A SUA QUESTÃO?

Opiniões e provocações de Ivana Arruda Leite, Micheliny Verunschk, Raimundo Carrero e Cíntia Moscovich.

sala itaú cultural 217 lugares [12]

[distribuição de ingressos 30 minutos antes do início da sessão]

[transmissão ao vivo em http://itaucultural.org.br]


sábado 22


21h às 21h50 ESPETÁCULO “PRISIONEIRO DE UMA CANÇÃO”

Filho de Plínio Marcos (1935-1999), o também dramaturgo Leo Lama transforma em música uma série de textos assinados pelo seu pai. Acompanhado pelo violonista Leo Nascimento e pela atriz/cantora Fernanda de Paula, Lama narra e canta um roteiro feito com base em canções que Plínio escreveu para as peças Balada de Um Palhaço, Querô – Uma Reportagem Maldita, Madame Blavatsky e A Mancha Roxa, entre outros trabalhos. Apresentado em parceria com a Balada Literária, o espetáculo integra a série AuTORES EM CENA, do Itaú Cultural – que leva para o palco a obra de diferentes escritores.

sala itaú cultural 217 lugares [14]

[distribuição de ingressos 30 minutos antes do início do espetáculo]

 

Deixe um comentário

*Campos obrigatórios. Seu e-mail nunca será publicado ou compartilhado.