VI Encontros de Interrogação chega ao segundo dia
em 08/09/2011

O segundo dia do VI Encontros de Interrogação leva à sede do Itaú Cultural quatro mesas em que são discutidos temas amplos, que vão desde como lidar com a página em branco até as relações entre mercado editorial e criação literária. A entrada é sempre gratuita, com ingressos distribuídos meia hora antes do início das mesas – sem esquecer a transmissão ao vivo pelo site do instituto.

Às 15h ocorre a mesa Como as Intranquilidades do Mercado Editorial Interferem no Processo de Criação?, com as presenças de Carola Saavedra, Frederico Barbosa, Luiz Ruffato e Ronaldo Correia de Brito, e mediação Flávio Moura. Entre os tópicos estão as formas de abordar um editor, as relações entre blogs e mercado editorial, e quais os caminhos possíveis para autores em busca de consolidação profissional. A conversa acontece na Sala Vermelha.

Às 16h30, é a vez de discutir As Intranquilidades Diante da Primeira Página: Como Atravessá-la sem Desistir?, com os autores Fernando Bonassi, João Paulo Cuenca, Luiz Vilela e Paloma Vidal, e mediação do jornalista Claudiney Ferreira. O objetivo da mesa é discutir “aquelas questões, tão antigas quanto atuais e eternas” – o primeiro risco na página em branco vem da inspiração, da leitura, ou da pesquisa? A busca das primeiras palavras, os temas e as reflexões, e a insegurança diante do papel rascunhado são matéria da conversa que ocorre na Sala Itaú Cultural.

Às 18h, ocorre a mesa Qual É o Espaço da Crítica de Ficção e de Poesia Hoje?, com André Vallias, Claudio Daniel, Claufe Rodrigues e João Cezar de Castro Rocha, e mediação de Marcos Strecker. O papel e a formação do crítico literário brasileiro, e as relações entre a suposta crise da literatura e uma crise da reflexão crítica, são os temas da conversa, que também se pergunta – quais os espaços abertos à reflexão existentes hoje no Brasil? O encontro acontece na Sala Vermelha.

Encerrando a programação do dia, às 20h, acontece a mesa Como Nasce uma Obra Quanto ao Gênero?, com Ivana Arruda Leite, Maria Esther Maciel, Michel Laub e Regina Dalcastagnè, e mediação de Claudia Nina. Na Sala Itaú Cultural, os escritores conversam sobre os limites entre gêneros, e sobre a própria pertinência destas classificações – prosa, poesia. Como se dá o enquadramento de determinado texto dentro das tradicionais classificações literárias? As novas plataformas criam outros gêneros?

Deixe um comentário

*Campos obrigatórios. Seu e-mail nunca será publicado ou compartilhado.