Folha de S.Paulo destaca interesse estrangeiro e a movimentação das editoras nacionais em prol da ficção brasileira
em 14/02/2013

Na reportagem de capa de hoje da Ilustrada, da Folha de S.Paulo, a jornalista Raquel Cozer trata do empenho das editoras nacionais em busca de ampliação do catálogo de ficção brasileira. Para os editores, a ação é influenciada pelo novo olhar internacional sobre o país que, inclusive, será tema da Feira do Livro de Frankfurt deste ano.

Ainda é exceção, mas existe até disputa entre editoras por determinadas publicações de autores recentes, caso de obras de Andrea del Fuego e Edney Silvestre, citados pela reportagem. Raro também, mas que começa a aparecer, adiantamento de direitos autorais na casa de seis dígitos. O movimento é analisado pela agente literária Luciana Villas-Boas, em citação: “Somos um raro caso de país que não consome a literatura local. O bom editor sabe que isso é anomalia e aposta na mudança”.

O texto inclui informações sobre o Programa Nacional Biblioteca na Escola (PNBE), bolsas para tradução de obras estrangeiras no exterior oferecidas pela Fundação Biblioteca Nacional e uma lista com romances nacionais previstos pelas editoras Alfaguara, Companhia das Letras, Cosac Naif, Intrínseca, Record e Rocco.

Leia a reportagem completa no site da Folha de S.Paulo.

 

Deixe um comentário

*Campos obrigatórios. Seu e-mail nunca será publicado ou compartilhado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.