guyglodis learningwarereviews humanscaleseating Cheap NFL Jerseys Cheap Jerseys Wholesale NFL Jerseys arizonacardinalsjerseyspop cheapjerseysbands.com cheapjerseyslan.com cheapjerseysband.com cheapjerseysgest.com cheapjerseysgests.com cheapnfljerseysbands.com cheapnfljerseyslan.com cheapnfljerseysband.com cheapnfljerseysgest.com cheapnfljerseysgests.com wholesalenfljerseysbands.com wholesalenfljerseyslan.com wholesalenfljerseysband.com wholesalenfljerseysgest.com wholesalenfljerseysgests.com wholesalejerseysbands.com wholesalejerseyslan.com wholesalejerseysband.com wholesalejerseysgest.com wholesalejerseysgests.com atlantafalconsjerseyspop baltimoreravensjerseyspop buffalobillsjerseyspop carolinapanthersjerseyspop chicagobearsjerseyspop cincinnatibengalsjerseyspop clevelandbrownsjerseyspop dallascowboysjerseyspop denverbroncosjerseyspop detroitlionsjerseyspop greenbaypackersjerseyspop houstontexansjerseyspop indianapoliscoltsjerseyspop jacksonvillejaguarsjerseyspop kansascitychiefsjerseyspop miamidolphinsjerseyspop minnesotavikingsjerseyspop newenglandpatriotsjerseyspop neworleanssaintsjerseyspop newyorkgiantsjerseyspop newyorkjetsjerseyspop oaklandraidersjerseyspop philadelphiaeaglesjerseyspop pittsburghsteelersjerseyspop sandiegochargersjerseyspop sanfrancisco49ersjerseyspop seattleseahawksjerseyspop losangelesramsjerseyspop tampabaybuccaneersjerseyspop tennesseetitansjerseyspop washingtonredskinsjerseyspop
Conexões Itaú Cultural em 2014 – sete anos do programa
em 19/12/2014

O Conexões Itaú Cultural completou sete anos. Ao longo de 2014 sua equipe se dedicou à melhoria das ferramentas de armazenamento dos dados dos mais de trezentos mapeados e à criação de laços com projetos que contribuam para o mapeamento da literatura brasileira no exterior.

Em junho, apresentamos o projeto em reunião do Brazilian Publishers, iniciativa da Câmara Brasileira do Livro.

Em novembro, o Encontro do Conexões Itaú Cultural, que aconteceu entre 20 e 22, reuniu tradutores, editores, pesquisadores e escritores, que, ao longo de três dias, debateram a situação da literatura brasileira no exterior.

Mediada por Felipe Lindoso, “A tarefa do tradutor”, que abriu a programação, contou com a participação de dois novos mapeados – os tradutores François Weigel e Julia Tomasini – e o também tradutor Michael Kegler.

A mesa seguinte promoveu uma discussão sobre a tarefa do editor na difusão de uma literatura estrangeira e quais as estratégias que empregam. Giorgio de Marchis, John O’Brien e Paula Salnot trataram dos desafios de editar literatura brasileira em seus países: Itália, Estados Unidos e França.

 

O segundo dia de debates começou com a mesa “Literatura brasileira no exterior”. A professora Carmen Villarino, colaboradora do Conexões desde seu início, dividiu a mesa, mediada por Claudiney Ferreira, com a tradutora Hilary Kaplan, a jornalista Isabel Coutinho e o agente literário Jordi Roca.

 

A mesa seguinte, mediada por João Cezar de Castro Rocha, reuniu três grandes escritores, Beatriz Bracher, Luiz Ruffato e Cristóvão Tezza, falando de sua relação com as traduções e a recepção de seus livros no exterior.

 

Ainda no dia 21 houve o lançamento do livro A primeira aula, organizado por Pedro Meira Monteiro, precedido por mesa sobre o assunto, de que participaram, além do organizador, Charles Perrone, professor da Universidade da Flórida (EUA), Marília Librandi Rocha, da Universidade Stanford (EUA), e Roberto Vecchi, da Universidade de Bolonha, todos professores e pesquisadores mapeados pelo Conexões. O livro reúne reflexões diversas sobre a experiência da primeira aula num país estrangeiro.

 

No último dia de debates houve a mesa “Impasses e promessas”, mediada por Rita Palmeira e que reunia a escritora de livros infantojuvenis Flávia Lins e Silva, o escritor João Paulo Cuenca e o professor e tradutor Jobst Welge.

 

Flávia falou de seus livros e destacou um deles, Nas folhas do chá, escrito a 4 mãos com a escritora chinesa Liu Hong. A internacionalização de um livro, afirmou, pode começar no processo de escrita. Destacou processos colaborativos entre países como forma de tornar a circulação de livros mais fácil. Jobst Welge recuperou sua experiência de dar aulas em universidades que não têm departamento de literatura brasileira e destacou sua abordagem comparatista. João Paulo Cuenca falou de sua experiência no projeto Amores expressos, de 2007, e também de sua participação em diversas feiras e debates ao redor do mundo.

 

O Encontro de novembro foi o coroamento de um ano extremamente produtivo para o projeto, que estreitou relação com iniciativas próximas à sua, como Plataforma 9, criada pela Associação Internacional de Lusitanistas e pela Fundação Calouste Gulbenkian.

 

Terminamos 2014 com 12 novos mapeados. Além do tradutor François Weigel, da Université Blaise Pascal Clermont-Ferrand (França), a quem dedicamos um post em abril, foram cadastrados no banco de dados os professores, pesquisadores e tradutores Adam Morris (Stanford University – EUA), Flora Thomson-DeVeaux (Brown University – EUA), Heike Muranyi (Universität zu Köln – Alemanha), Jean-Paulo Giusti (Université de Lyon 2 – França), Saulo Neiva (Université Blaise Pascal Clermont-Ferrand – França) e Victoria Livingstone (Boston University – EUA), os pesquisadores e professores Alejandra Josiowicz (Rutgers University, Camden – EUA), Leonardo Barros Medeiros (Universidade de Coimbra – Portugal) e Rodrigo Lopes de Barros (Boston University – EUA), e os tradutores Julia Tomasini, da University of Maryland (EUA), e Sergio Colina (Asociación Cultural 2384 – Espanha).

 

Ao todo, são 319 mapeados, vinculados a 159 instituições.

 

Texto de Rita Palmeira e Fernanda Guimarães – pesquisadoras do Conexões Itaú Cultural

 

Deixe um comentário

*Campos obrigatórios. Seu e-mail nunca será publicado ou compartilhado.