“Brazilian Publishers” visita o Conexões
em 06/07/2011

O Conexões Itaú Cultural – Mapeamento Internacional da Literatura Brasileira recebeu na última segunda-feira a visita de jornalistas estrangeiros convidados para vir ao Brasil pela APEX e pela CBL, através do programa Brazilian Publishers. Os jornalistas Edwin Frank, da New York Review of Books, Raphaelle Rerolle, do Le Monde, Ángel Gurria, do Financial Times de Londres e Isabel Coutinho, do Público, de Lisboa, assim como o editor Erroll McDonald, da Pantheon Books foram recebidos pela equipe do Conexões, que convidou também para o encontro o professor Gustavo Sorá e o escritor Luiz Ruffato.
Os visitantes assistiram a uma apresentação do projeto, com ênfase no Banco de Dados, que mostra resultados dos questionários de 192 “mapeados” – professores, pesquisadores e tradutores – sobre os mais variados temas da presença da literatura brasileira no exterior. A integração do Conexões com outros programas do Itaú Cultural, em especial com a Enciclopédia Virtual da Literatura Brasileira também foi apontada.
Depois das exposições da equipe do Conexões, que incluiu demonstrações de como o Banco de Dados pode ajudar os jornalistas e editores estrangeiros interessados na Literatura Brasileira, houve uma troca de ideias entre os convidados.
O professor Gustavo Sorá – que é “mapeado” desde os primeiros momentos do projeto – chamou atenção para a importância do foco na América Latina e no espanhol em particular. Sorá anunciou também que está organizando um pool de pesquisadores para estudar as feiras internacionais de livros, em particular a de Frankfurt, lembrando que o Brasil é o primeiro país convidado duas vezes para ser o “Tema” da Feira, em 1994 e agora em 2013.
De um modo geral os jornalistas assinalaram que a falta de informações mais detalhadas sobre a produção da literatura brasileira e a falta de continuidade do programa de bolsas de tradução dificultam as traduções. Erroll McDonald lembrou que é difícil para uma editora fazer um investimento relativamente grande na tradução de autores sobre os quais as informações são fragmentárias e esparsas.
Raphaelle Rerolle, do Le Monde, chamou atenção para a importância de vincular a literatura às demais manifestações da cultura brasileira, como a música.
Isabel Coutinho, Edwin Frank e Ángel Gurria fizeram observações também destacando a importância de uma política de apoio às traduções e da divulgação de informações sobre os autores.
Vários dos presentes expressaram a demanda de que o Banco de Dados do Conexões tivesse uma versão em inglês, o que facilitaria muito o seu uso principalmente pelos editores que não conhecem o português. “Ter informações antes de passar o livro para um leitor é importante para os editores”, assinalou Edwin Frank, apoiado por Erroll McDonald.

Deixe um comentário

*Campos obrigatórios. Seu e-mail nunca será publicado ou compartilhado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.